Faculdade de Tecnologia do Colégio Bandeirantes

Frameworks na sala de aula: usá-los ou não?

Postado por Equipe BandTec

Tags: Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Graduação

Qualidade, velocidade de desenvolvimento, segurança, manutenibilidade e reutilização de código são alguns dos motivos que, com o passar do tempo, têm justificado o uso cada vez mais difundido de bibliotecas de código prontas e frameworks.

Se o assunto for desenvolvimento Web com JavaScript, então… Existem dezenas de frameworks e bibliotecas poderosas, conhecidas e amplamente utilizadas no mercado, como jQuery, MooTools, Prototype e por aí vai!

Por já conhecer bem esse cenário, no dia em que me foi pedido que ministrasse a disciplina de Programação Web na Faculdade BandTec, quase quatro anos atrás, percebi que teria uma tomada de decisão bastante complicada diante de mim, capaz de me assombrar para sempre: utilizar ou não esse tipo de framework em sala de aula?

Polêmica! É a melhor definição, pelo menos do ponto de vista de alguns alunos já mais experientes, para descrever minha decisão: não utilizar frameworks JavaScript nessa disciplina!!!

Isso não foi decidido de um dia para o outro… Ponderei e meditei muito até conseguir bater o martelo dentro da minha mente.

Contudo, só um ano depois percebi que, na verdade, não estava buscando a resposta com toda aquela meditação, mas sim, juntando forças para defender um conceito que sempre me guiou, desde a época de aluno: saber o porquê das coisas!

A disciplina de Programação Web tem 80 horas-aula, das quais – descontadas as horas de atividades em sala – menos do que isso é efetivamente utilizado para passar aos alunos conceitos como HTML, CSS, JavaScript, programação de páginas do lado do servidor (ASP.Net) e AJAX.

Considerando aqueles alunos que iniciam a disciplina sem nunca ter criado ao menos um parágrafo em HTML – que são a grande maioria -, o tempo é o suficiente, mas para atingir o objetivo proposto certamente requer bastante esforço por parte deles.

Mas ainda assim eu penso: será que vale a pena “enfiar goela abaixo” dos alunos montes de comandos prontos utilizando jQuery e esconder deles a verdade?

A verdade… Verdades tais como que aqueles conjuntos intermináveis de { } não pertencem à “linguagem jQuery” (como já ouvi de alunos), mas sim, fazem parte da linguagem JavaScript, uma linguagem funcional poderosíssima, capaz de criar objetos inline, e que trata funções como objetos de primeira classe.

Sei que em uma empresa os alunos possivelmente terão que utilizar algum tipo de framework, e aliás, não sou contra eles, de forma alguma. Mas optei por utilizar o tempo que tenho com eles em sala de aula para lhes ensinar as bases da linguagem JavaScript, como por exemplo, o que vem a ser um Closure (conceito desconhecido até mesmo por vários alunos experientes) e como utilizá-lo corretamente.

Prezo a ideia de que, sabendo como uma linguagem funciona – qualquer uma! – não existirá limites para a quantidade de frameworks daquela linguagem que os alunos serão capazes de compreender. Ou, quem sabe, capazes de criar seus próprios frameworks!

Equipe BandTec

Equipe de publicações da Bandtec Digital School


Nova chamada à ação

          

Posts recentes

Cursos Graduação

Cursos Graduação BandTec

Os cursos são práticos, com ênfase em atividades de laboratório, estudos de casos e projetos, que fazem parte do dia a dia das empresas.

Veja os cursos:

Cursos Pós-Graduação

BandTec-pos-graduacao

As especializações visam uma formação completa voltada à empregabilidade de seus alunos. assim, incluem a abordagem de questões técnicas, mas também uma ampla visão de negócios e troca de vivências profissionais.

Veja os cursos: